search
top
  Exposiciones

Fallados los premios de la I Bienal de pintura “Cromática”

Ayer se fallaron los premios I BIENAL DE PINTURA JOVEN CROMÁTICA.

El premio del Jurado fue para FIDEL LATIESAS por su cuadro Natal. Destacó el jurado la composición, la técnica y la originalidad.

Natal-Brasil. Fidel Latiesas. Cromática 2010.

El premio del público fue para IRIA PAZ GONZÁLEZ ÁLVAREZ por su cuadro Engaiolada.

Engaiolada. Iria Paz Álvarez.

Enhorabuena a los dos. A partir del lunes 22 se irán enviando los cuadros.

Fotografías de la inauguración de Cromática, I Bienal de Pintura Joven

Fotografías de la inauguración de Cromática, I Bienal de Pintura Joven

Exposición de bodegones de Olga Reinoso

La Fundación Cum Laude invita a los lectores de su sitio web a visitar la exposición de pintura “El valor de lo cotidiano”, bodegones de Olga Reinoso que se podrán contemplar en el Centro Cultural de la Diputación de Ourense del 12 al 28 de febrero de 2010.

Exposición de Olga Reinoso

Exposición de bodegones de Olga Reinoso

La Fundación Cum Laude invita a los lectores de su sitio web a visitar la exposición de pintura “El valor de lo cotidiano”, bodegones de Olga Reinoso que se podrán contemplar en el Centro Cultural de la Diputación de Ourense del 12 al 28 de febrero de 2010.

Exposición de Olga Reinoso

Edilson Rocha, “O pintor de Çeará”

Captura1 El día 20 de Noviembre a las 20:00 inaguramos la exposición del artista brasileño Edilson Rocha en Orense.

La muestra recoge obras obras de carácter abstracto en las que destaca el color y la fuerza en la pincelada.Refleja Rocha los paisajes cotidianos de su ciudad, transmitiéndonos la esperanza del color entre la desesperanza de las favelas.

Hasta el 11 de diciembre se podrá visitar la exposición en la galería Manuel Márquez de Orense, calle Doctor Marañón 19.

Captura3

 
 
 
 

“Natural de Beberibe, litoral do Ceará, o artista plástico viveu uma infância de quietude típica do interior. Mas ele sonhava em viver na cidade grande. E ainda adolescente pode realizar seu sonho. Mas a sede de viver tudo o que a cidade poderia oferecer fez com que ele seguisse por caminhos tortuosos, levando-o a viver por nove anos dentro de um presídio.Captura1

 A experiência social modificou seu modo de ver o mundo e despertou a sensibilidade para a arte, revelando sua paixão e talento para a pintura. As primeiras telas foram expostas na Av. Beira Mar, ponto de maior movimentação turística da capital cearense, há cerca de dez anos. Era o início de uma carreira.Foi neste local que futuros clientes e admiradores puderam conhecer seu talento. Um dos maiores apreciadores das obras de Ed Rocha é o critico de arte Marco Baíno. Desde que o italiano conheceu o pintor, tornou-se assíduo frequentador de seu ateliê, colecionando seus quadros.

Janelas e favelas são seus temas preferidos. O primeiro, revela ele, significa a janela do perdão, do amor, da esperança. O segundo mostra a vida, alegria, força e trabalho existente nas comunidades mais carentes da sociedade brasileira.

Outro que conheceu as telas expostas na Beira Mar é o proprietário do restaurante La Casa, Steve Fung-Loy. O empresário holandês, radicado em Fortaleza, se encanta com as casas de favela pintadas por Edilson. Ele conta que seus clientes ficam admirados com a beleza dos quadros expostos nas paredes do restaurante e declara: “Ele não faz isso para ganhar dinheiro, isso é o que eu mais gosto nele”.

Com simplicidade e sempre com um sorriso estampado no rosto, Ed Rocha leva, hoje em dia, seu exemplo de vida e transmite confiança para outros detentos. Já ministrou oficinas de pintura em parceria com a Pastoral Carcerária e do Povo da Rua de Fortaleza.

Captura2Se perguntar quantos quadros pintou ao longo de sua carreira, ele não sabe responder. Tampouco está preocupado em contabilizar as exposições que já participou.

“Não estou preocupado em contar. Isso não tem importância”. Sua única preocupação é continuar pintando sem cessar. “Tem semana que não pinto nada. Tem dias que pinto o dia inteiro, dois, três quadros”. Sua pintura é fruto de sua sensibilidade, de sua visão de mundo. Ed Rocha dá livre vazão aos sentimentos e não se preocupa em se encaixar num estilo nem em agradar alguém ou uma classe.

Embora seu trabalho não seja muito conhecido no Ceará, suas telas já chegaram à Europa. Romênia e Portugal, por exemplo, são algumas das localidades onde seus quadros já se fazem presentes. O contato com clientes também é possível através do e-mail divilima@yahoo.com.br.

O ateliê do artista fica situado à rua Baturité, 115, no Centro de Fortaleza.”

14/09/09

Tatiana Félix

Adital

Noticias da América Latina e Caribe

Edilson Rocha, “O pintor de Çeará”

Captura1 El día 20 de Noviembre a las 20:00 inaguramos la exposición del artista brasileño Edilson Rocha en Orense.

La muestra recoge obras obras de carácter abstracto en las que destaca el color y la fuerza en la pincelada.Refleja Rocha los paisajes cotidianos de su ciudad, transmitiéndonos la esperanza del color entre la desesperanza de las favelas.

Hasta el 11 de diciembre se podrá visitar la exposición en la galería Manuel Márquez de Orense, calle Doctor Marañón 19.

Captura3

 
 
 
 

“Natural de Beberibe, litoral do Ceará, o artista plástico viveu uma infância de quietude típica do interior. Mas ele sonhava em viver na cidade grande. E ainda adolescente pode realizar seu sonho. Mas a sede de viver tudo o que a cidade poderia oferecer fez com que ele seguisse por caminhos tortuosos, levando-o a viver por nove anos dentro de um presídio.Captura1

 A experiência social modificou seu modo de ver o mundo e despertou a sensibilidade para a arte, revelando sua paixão e talento para a pintura. As primeiras telas foram expostas na Av. Beira Mar, ponto de maior movimentação turística da capital cearense, há cerca de dez anos. Era o início de uma carreira.Foi neste local que futuros clientes e admiradores puderam conhecer seu talento. Um dos maiores apreciadores das obras de Ed Rocha é o critico de arte Marco Baíno. Desde que o italiano conheceu o pintor, tornou-se assíduo frequentador de seu ateliê, colecionando seus quadros.

Janelas e favelas são seus temas preferidos. O primeiro, revela ele, significa a janela do perdão, do amor, da esperança. O segundo mostra a vida, alegria, força e trabalho existente nas comunidades mais carentes da sociedade brasileira.

Outro que conheceu as telas expostas na Beira Mar é o proprietário do restaurante La Casa, Steve Fung-Loy. O empresário holandês, radicado em Fortaleza, se encanta com as casas de favela pintadas por Edilson. Ele conta que seus clientes ficam admirados com a beleza dos quadros expostos nas paredes do restaurante e declara: “Ele não faz isso para ganhar dinheiro, isso é o que eu mais gosto nele”.

Com simplicidade e sempre com um sorriso estampado no rosto, Ed Rocha leva, hoje em dia, seu exemplo de vida e transmite confiança para outros detentos. Já ministrou oficinas de pintura em parceria com a Pastoral Carcerária e do Povo da Rua de Fortaleza.

Captura2Se perguntar quantos quadros pintou ao longo de sua carreira, ele não sabe responder. Tampouco está preocupado em contabilizar as exposições que já participou.

“Não estou preocupado em contar. Isso não tem importância”. Sua única preocupação é continuar pintando sem cessar. “Tem semana que não pinto nada. Tem dias que pinto o dia inteiro, dois, três quadros”. Sua pintura é fruto de sua sensibilidade, de sua visão de mundo. Ed Rocha dá livre vazão aos sentimentos e não se preocupa em se encaixar num estilo nem em agradar alguém ou uma classe.

Embora seu trabalho não seja muito conhecido no Ceará, suas telas já chegaram à Europa. Romênia e Portugal, por exemplo, são algumas das localidades onde seus quadros já se fazem presentes. O contato com clientes também é possível através do e-mail divilima@yahoo.com.br.

O ateliê do artista fica situado à rua Baturité, 115, no Centro de Fortaleza.”

14/09/09

Tatiana Félix

Adital

Noticias da América Latina e Caribe

Página 26 de 26« Primera...10...2223242526
top